Gimp para design gráfico: Por que não?

Utilizo bastante e sou um divulgador de software livre. Minhas poucas contribuições foram mais com traduções (sempre que encontro um sistema que não tem uma versão em português, corro para traduzir). Uma coisa, porém, me tirava a paciência: fica uma lacuna na parte de criação gráfica.

Claro que já tinha ouvido falar do Gimp. É a primeira opção que se recomenda e se pensa em qualquer lugar, mas, será que ele é bom mesmo? Dá para fazer as mesmas coisas que “um Photoshop da vida”? Tentava e tentava utilizar, mas sempre me deparava com uma ou outra coisa que me impedia de afirmar: “O Gimp presta!”

Minha visão mudou. Por quê? Porque meu “método de avaliação” mudou. Estava tentando procurar no Gimp as ferramentas e formas de trabalhar que eu estava acostumado no Photoshop. Esqueci que o que eu queria avaliar, na verdade, era se o Gimp era capaz de ser a ferramenta ideal para design gráfico. E descobri que sim.

Estaria mentindo se dissesse que é um software completo. Não é. Coisas básicas ainda faltam (algumas delas já prometidas para a próxima versão) como:

  • Agrupamento de camadas (essa já é certeza sair na próxima versão)
  • Desenho vetorial (existe uma implementação de vetor, mas praticamente só para seleções)
  • Melhoria na ferramenta de Brush.
  • Suporte a CMYK (no meu caso, desenho praticamente para a Web, então isso não é ponto falho)

Apesar dessas pequenas faltas, digo que é possível sim fazer trabalhos bons utilizando o Gimp. E digo que hoje não sinto falta do Photoshop. Não há nada no Gimp que não consiga fazer. Nada que eu precise, ao menos.

Tive que entender que para fazer um quadrado ou um círculo, tenho que selecionar uma área e pintá-la, ao invés de clicar numa ferramenta de círculo e escolher a cor interna. Perceberam que o que muda é somente a maneira de se fazer as coisas? O resultado final e o esforço para atingi-lo são os mesmos.

Meu primeiro exemplo real e prático de um trabalho feito 100% utilizando o Gimp foi o site www.gogs.com.br. Nele fiz questão de nem abrir o Photoshop. Nenhum momento sequer, e, julgo eu (falando de meu filho) que ficou bem bonitinho. :D

Para quem tem preguiça de acessar links de posts, segue abaixo um screenshot pequeno:

Screenshot do site www.gogs.com.br

Desculpem-me não ter sido muito específico, mas utilizo este artigo mais para incentivar você também a descobrir que se pode fazer com o Gimp tudo o que deseja, e com um tempo outras ferramentas não vão fazer tanta falta.

About these ads

12 Comments

  1. Posted março 29, 2010 at 3:35 pm | Permalink | Resposta

    É fato que o GIMP ainda precisa de muitas melhorias, mas claro que é possível executar os trabalhos com ele sim. Ainda sinto falta de certos recursos, mas a ferramenta está evoluindo e com certeza é uma alternativa viável :)

    Parabéns pela divulgação…

    Abçs

  2. Henrique Gogó
    Posted março 29, 2010 at 4:10 pm | Permalink | Resposta

    Uma coisa que eu esqueci de comentar, galera, é que tem um plugin essencial, chamado Layer Effects. Com ele sim as mil maravilhas são possíveis. http://registry.gimp.org/node/186

  3. Posted março 29, 2010 at 4:14 pm | Permalink | Resposta

    Muito bem definido, a forma de trabalho, mas é sim possível trabalhar com o gimp. Apesar da falta de certos recursos ele é capaz de realizar um trabalho profissional com eficiência.

  4. Posted março 29, 2010 at 4:50 pm | Permalink | Resposta

    Olá.

    Eu uso o gimp. Gosto muito dele. Imaginei que seu artigo fosse de fato dizer algo interessante. Fiquei só na expectativa. Quem sabe nos próximos.

    abraços..

  5. Posted março 29, 2010 at 5:12 pm | Permalink | Resposta

    Sem falar em outros plugins já existentes a tempos para o Gimp que só começam a aparecer agora no Photoshop…

    http://www.logarithmic.net/pfh/resynthesizer

    http://cimg.sourceforge.net/greycstoration/demonstration.shtml

  6. Posted março 29, 2010 at 7:22 pm | Permalink | Resposta

    Não sei como isso funciona no photoshop, mas não vejo a necessidade de desenho vetorial dentro do GIMP, uma vez que posso utilizar o Inkscape para cobrir esta função. Pelo menos as minhas necessidades são sanadas com este fluxo de trabalho.

    Abraços

  7. jap0nes
    Posted março 29, 2010 at 10:49 pm | Permalink | Resposta

    Parabens pela iniciativa! Como eu sempre disse e digo, o Gimp quebra um bom galho, assim como o Open Office. Para o usuario comum, nao deve nada para seus concorrentes pagos.
    E a maioria dos que defendem o Photoshop ou o MS Office em favor de seus equivalentes open source nao pagam por suas licenças :)

  8. thiagoribeiro
    Posted março 30, 2010 at 8:58 am | Permalink | Resposta

    O gimp é bacana, sempre o usei, porém o algoritmo de compactação de JPEG do Photoshop por exemplo é muito mais otimizado. Enquanto você consegue boas imagens com tamanhos minúsculos no Photoshop, no Gimp é um fiasco, podendo a imagem ficar até 5 vezes maior para ter a mesma qualidade do Photoshop. Mas de fato o Gimp é a melhor alternativa opensource.

  9. Posted março 30, 2010 at 10:27 am | Permalink | Resposta

    Tem gente que usa o Photoshop para redimensionar imagem ou colocar uma bordinha colorida. É mole?

  10. Posted maio 18, 2010 at 8:03 pm | Permalink | Resposta

    Olá, muito legal o seu ponto de vista.
    Masss…. eu digo q eu consgio fazer tudo que se poderia fazer no photoshop com o gimp.

    Sou designer, técnico em Informática e Usário Linux :D
    Utilizo o Gimp, o inkscape e o blender nas minhas edições.

    E como assim o gimp não AGRUPA camadas?
    Ja tentou o Ctrl+M ??? Ou clique com direto na camada e “Combinar a baixo” ?. Sim caro colega, é possível. :)

    O post tá legal. (y)

    • Henrique Gogó
      Posted maio 18, 2010 at 10:38 pm | Permalink | Resposta

      Marlin,

      Obrigado por comentar e obrigado por elogiar.

      Quando eu falei sobre agrupar, estava falando de agrupamento em ‘pastas’ (não achei palavra melhor) como o Photoshop faz.

      O que o controle CTRL+M faz é mesclar as camadas, combinando-as numa só camada.

      Agrpar camadas é essencial para organizá-las quando temos muitas camadas.

  11. Posted setembro 1, 2012 at 7:22 am | Permalink | Resposta

    Eu prefiro o Gimp ao Photoshop por este ser uma ferramenta gratuita. Embora o Gimp seja inferior ao Photoshop, vale a pena testar. Dizem que é um software perfeito para editoração gráfica.

One Trackback

  1. By Avaliando o Gimp para design gráfico on março 29, 2010 at 3:01 pm

    [...] Minha visão mudou. Por quê? Porque meu “método de avaliação” mudou. Estava tentando procurar no Gimp as ferramentas e formas de trabalhar que eu estava acostumado no Photoshop. Esqueci que o que eu queria avaliar, na verdade, era se o Gimp era capaz de ser a ferramenta ideal para design gráfico. E descobri que sim.” Veja os detalhes no link.” [referência: henriquegogo.wordpress.com] [...]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: